sexta-feira, 24 de maio de 2013

Virada Cultural






Já faz praticamente uma semana da Virada Cultural aqui da capital e eu nem havia comentado os prós e contras do evento, então, vamos lá:

Desta vez estive com japakid e japamarido na Viradinha Cultural, aquela com programação destinada a crianças. Foi lá na Estação da Luz.
Com direito a show, palhaços, o próprio Parque da Luz. Curtimos bastante, filhote também gostou.
A parte infantil estava ótima. Só senti falta de uma área com algum tipo de comida além de pastel que pudesse oferecer para ele, porém como sou mãe prevenida acabei levando “alguma coisa de casa mesmo”, só “morremos” com os R$9,00 cobrados por uma tigela de açaí num bar nas imediações, bar este impróprio para menores de 40 anos, tanto que comprei e voltamos para tomar no parque.

Fomos também à Pinacoteca. Muitos podem me perguntar:

- Porque levar uma criança tão pequena (3 anos e 7 meses) num lugar para ver quadros obras de arte?

Respondo com muito gosto! A vida não são somente videogames, carrinhos e bola, acho mega importante mostrar um pouco de tudo e quando ele for maior já estará acostumado com tudo o que a vida pode lhe oferecer. E o mais legal é ver a reação das pessoas ao vê-lo olhando as obras, atento curioso e com as mãos para trás, para não correr o risco de colocar as mãozinhas naquilo que não pode.

Fato engraçado que estou rindo há uma semana:
Sempre falo para o D.Kenji que não pode ficar colocando as mãos nas peças expostas porque se não as “coisas” ficarão pretas, sujas. Aí estávamos diante de uma obra de uma mulher negra, e fiz o comentário, japakid mais que depressa se vira para mim e fala: Entendi mãe, fica preta igual esta.... risos, muitos risos, só consegui concordar, àquela altura do negócio, não dava para explicar mais grandes coisas...rsrsrs
Ainda tentamos ir até a Praça da Sé, para assistirmos aos shows do humor, mas lá mesmo com todo policiamento, foi impossível. Uma pena.

Saldo da Virada:

Dia seguinte ouvi notícias sobre mortes, confusões, algumas tragédias. Penso o seguinte:
Infelizmente tragédias não marcam nem dia nem hora, você pode estar se divertindo e ser atingido por uma bala perdida. Não estou justificando e continuo achando que policiamento nunca é demais, eventos públicos precisam de segurança sempre à todo momento, ainda mais coisas deste porte. Deixo meu sentimento de alegria por ter visto meu filho tão feliz e minha tristeza e indignação pelas pessoas que nunca mais poderão participar de tais eventos.


Nenhum comentário: