domingo, 23 de fevereiro de 2014

Serviços Ruins

Se tem uma coisa que não admito é receber mau atendimento.
E não estou falando de falta de simpatia por parte dos atendentes ou coisas do tipo, me refiro ao descaso, à falta de informação com a qual muitos setores do comércios deixam de prestar aos seus clientes.
Só ontem tive duas experiências ruis e hoje mais uma, ha saber:

- Ontem no shopping The Square Mall (km22 Raposo Tavares) o shopping ótimo como comentado aqui neste blog mas a Drogaria São Paulo do local, deixou a desejar.
Fora uma das atendentes que foi bastante solícita a "mocinha" do caixa não conseguia cumprir sua função sem sair do caixa por duas vezes para verificar valores de produtos que ou não estavam cadastrados ou não estavam com etiqueta de valor (o que é contra lei do consumidor), para comprar cinco itens levei mais de 15 minutos sendo que não havia fila.
Qual o valor do produto?
- Só um segundo senhora, vou verificar....
E este produto?
- Só um segundo senhora, vou verificar....
Sério? Qual dificuldade de se precificar produtos ou deixá-los cadastrados no sistema já com preço?
Perdi meu tempo, o tempo do funcionário, e dos demais clientes da fila que se formou atrás de mim.

A outra loja também no mesmo shopping foi o Burger King.
Vamos ao caso:
Estava com meu filho, minha mãe,  minha amiga e a filha dela (as crianças tem 4 anos cada), solicitamos os lanches e a "mocinha" do caixa avisou que não havia nenhum brinquedo, em troca disto estavam oferecendo um voucher para ser utilizado em algum brinquedo no shopping, esta informação já não foi a contento a começar que a "mocinha"se quer sabia pronunciar a palavra voucher....
Seguimos o atendimento e ela disse que não havia nem brinquedo nem maça para sobremesa, então meu primeiro questionamento foi perguntar o que nos seria oferecido em troca uma vez que não faziam descontos no lanche, ela disse que iria compensar a falta dos produtos  nos oferecendo um pouco mais de batatas.
Havia nos informado que a máquina de sorvetes não estava funcionando (isto em plena hora do almoço).
Fiquei aguardando por 10 minutos (fast serviço mole), repentinamente a outra atendente começa a servir sorvetes... as crianças já ficaram estranhando uma vez que havíamos dito que não estava funcionando.
Os lanches chegaram e fomos para a mesa, que não estava próxima, ao abrirmos os lanches, obviamente a atendente se esqueceu de colocar um pouco mais de batatas, esqueceu também de colocar os catchups que havia solicitado, bem como os guardanapos...
Fala sério?
Não era o botequim da esquina era uma franquia do Burger King!
Voltei por duas vezes ao local até que solicitei que o gerente pudesse me dar alguma compensação mediante ao transtorno, este por sua vez foi solícito me ouvindo e prestando atenção às minhas reclamações, me ofereceu um pouco de nuggets de guardanapos, há sim, no Burger King também não há nenhum tipo de suco natural, meu filho que não tomar refrigerante, teve como acompanhamento do lanche, um copo d'água.

Hoje a empresa que me prestou um serviço ruim foi a Oi, minha mãe possuía telefonia fixa, e como não mora mais em Minas não fazia sentido continuar com a linha.
Parece piada, mas cancelar serviço é quase uma saga, desde cair a linha a atendentes que não dispostos a ouvir o que de fato o cliente deseja,
Tive que ligar três vezes para concluir minha solicitação, isto depois de brigar, me exaltar, e deixar uma reclamação contra uma das atendentes.


O que acontece com os serviços?
Porque os donos, franquiados, proprietários, não dão treinamento para seus funcionários e colaboradores?
Sai caro para eles mesmos, afinal, quanto custa um cliente insatisfeito?




2 comentários:

Marcelo Fujii disse...

Infelizmente, a educação neste país não existe. Outro: quando a pessoa é contratada para um serviço, já sabe quais são as exigências, os afazeres e, acima de tudo, o valor do salário. Portanto, não têm (ou pelo menos não teriam) o direito a reclamar que o salário é baixo. Se não aceita o valor, não aceite o emprego e vá estudar, tenta progredir. Infelizmente somos nós que sofremos com o descaso e mau atendimentos dessa corja.
Bejitos

Diane Lorde disse...

Concordo.
E cabe aqui a velha máxima, o povo não quer trabalhar, quer dinheiro no fim do mês.