quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Bienal 2012

Este ano já visitei a Bienal de Artes.
Diferentemente do anos anteriores achei a organização bem mais chata, a saber que não se pode entrar nem com garrafa d´água, tudo deve ser deixado no guarda volumes da entrada. Tudo certo desde que seus objetos não sejam perdidos, nem que seja uma garrafa d'água - explicando: deixei bolsa, lanche que estava carregando nas mãos a tal garrafinha, fui informada de que não poderia entrar com a mesma, a moça (antipática) perguntou meu nome e teoricamente identificou a tal garrafa, ao sair para pegar todos meus obejtos, onde estava a tal garrafa? Simplesmente havia desaparecido, alguém levou, ou bebeu, sei lá, fato é que só soube quando já estava com os pés para sair da exposição, caso quisesse comprar água deveria entrar novamente, deixando tudo outra vez e ir até o 1ºandar, coisa que obviamente não fiz.
O único funcionário simpático que estava no local foi um dos seguranças que embora tenha me feito uma advertência foi gentil e delicado.
A parte legal de tudo isto é que o Marcelo Rosenbaum (arquiteto) estava lá e pude dar uma de tiete tirando a foto acima, ele foi mega simpático!
Ainda assim, apesar das chatices e dá falta de cordialidade, indico o passeio ma, vá munido de paciência porque:
- fotos somente sem flashes;
- não se pode correr, nem mesmo andar apressadamente, nem que seja para pegar seu filho pequeno;
- aliás, crianças pequenas devem permanecer pregadas em suas mãoes por todo o percurso;

Uma explicação: Este já é o 2º ano que meu filho (3 anos) vai á exposição, levo porque quero criar nele este saudável hábito, é uma maneira de ensinar que nem só "pegando" nas coisas podemos sentí-las, vendo também aprendemos e principalmente respeitando as regras do local (não pondo as mãos nas obras). Vou continuar levando e acreditando.

Nenhum comentário: